Mostrar mensagens com a etiqueta acompanhamentos. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta acompanhamentos. Mostrar todas as mensagens

3 de março de 2017

O poder no feminino {Granola Salgada de Bacon e Tomate Seco}




Há pouco mais de um ano que abri a minha empresa. Como tantas vezes desabafei neste blogue, esta decisão foi das mais complicadas e arriscadas da minha vida. Mas hoje, passado tão pouco tempo não podia estar mais feliz e concretizada. O dia da mulher está aí a chegar e se há dia que eu gosto é o 8 de Março. Apesar de se ter transformado num dia super comercial, em que o que interessa é dar uma flor às mulheres, o 8 de Março é bem mais importante do que dar uma rosa às mulheres.

16 de agosto de 2016

Expectativa vs Realidade {Manteiga de Pistácio}


Tenho andado ausente. É um facto. Ausente do blogue, das redes sociais. Envolta em imenso trabalho e com as filhas de férias o que complica ainda mais a gestão do meu tempo.

Faço planos na minha cabeça e, às vezes, no papel também. A lista interminável de tarefas a cumprir e terminar o dia de trabalho antes das 16h para poder fazer actividades de férias com as filhotas.  O que é certo é que não tenho conseguido cumprir. Nesse momento recordo-me do que uma tia minha me disse há muitos anos: "Nunca deixes o trabalho interferir com o tempo de qualidade com as tuas filhas. É a única coisa que me arrependo na vida." Claro que depois vim a saber que é, também, uma percepção dela, pois as filhas não têm de todo essa recordação da mãe. Talvez, também ela, esteja a ser demasiado dura com ela própria...

O que é certo é que tenho andado a lutar com as expectativas que crio versus a realidade. Acho que o problema principal é esse. Se pensar bem, suponho que consigo resumir todos os meus problemas nisto. Sempre que me envolvo em algo, ou nos meus problemas emocionais, ou no meu próprio trabalho, o que me leva ao desespero são as minhas expectativas saírem defraudadas. Andei assim durante duas ou três semanas, a tentar compor, arranjar forma de fazer tudo e cumprir com todas as minhas tarefas e superar as minhas expectativas. Sempre que não as conseguia superar o sentimento era de desolação, tristeza e desilusão. Até que percebi que não poderia continuar assim. Estava a entrar num ciclo vicioso do qual seria complicado sair.

10 de maio de 2016

Meninices e Mesquinhices {Pesto de rúcula e menta}

Há uns dias, estava a arranjar a Maria para tomar banho e ela estava a contar-me um episódio da escola. Referiu o nome de uma amiga/colega que eu não conhecia. Ela disse: "Oh mãe, ela é do 3º ano, é aquela que dança muito bem Hip-Hop, sabes?" Percebi, finalmente, de quem se tratava e resolvi perguntar: "Vocês são amigas?"

Esta minha pergunta surtiu grande conversa:

29 de março de 2016

Os dias em que não cabes em ti {Pão caseiro sem amassar com azeite e alecrim}








"Há dias em que não cabes na pele com que andas, 
Parece comprada em segunda mão, um pouco larga nas mangas."*

Não sei se costumam ter esta sensação, de que não cabemos dentro de nós próprios, que parece que tudo o que vestimos/usamos não nos serve, não nos encaixa. Há dias assim, em que me olho ao espelho e não gosto de nada, só reparo numa borbulha, nas estrias da barriga, na pele mais flácida, nas olheiras, do cansaço estampado no rosto... e vou disfarçando, vou à "caixinha da saúde" e coloco um pouco de cor na cara, para dar um ar mais saudável. Mas o espírito continua lá e, inevitavelmente, nesse dia toda a gente pergunta se me estou a sentir bem, que estou com ar cansado, que estou mais magra... E a estima e o espírito descem ainda mais e mais, e vou-me afundando numa tristeza que muitas vezes nem eu própria percebo como lá cheguei.

26 de janeiro de 2016

O que nos define? {batata doce "frita" no forno}

Tinha 18 anos e estava a ter aulas de condução. Na época uma das minhas maiores dificuldades era o estacionamento. As regras aprendidas em aula eram demasiado complexas. Tinha de ser tudo perfeito e nunca podia ir ao passeio. Nunca tocar com o pneu no passeio. E todos nós condutores sabemos que muitas vezes é o que mais nos ajuda [mas adiante]. Mal sabia que ia ter uma aula de condução ficava logo demasiado nervosa, o que não ajudava em nada... 

17 de março de 2014

Uma salada colorida e divertida e um dia inesquecível

Fui convidada pela associação Aptece para ir à BTL, em Lisboa, dar um workshop a crianças. Como sabem eu adoro crianças, são os nossos melhores críticos e conseguir que eles comam o que acabaram de fazer é uma vitória gigante. E o resultado foi maravilhoso, eles gostaram e as repetições do prato e sobremesa foram muitas.

20 de janeiro de 2014

Pesto de espinafres e pistácios

Como sabem sou formada em design gráfico. E ainda na universidade aprendi os 10 fundamentos/ princípios do bom design do Dieter Rams. O Dieter Rams é um designer industrial, foi o grande designer da Braun. O seu trabalho sempre primou por uma simplicidade incrível, sempre com o factor "wow" em todas as peças que desenvolvia. Foi dos principais responsáveis por alterar a cor dos electrodomésticos da cozinha para a cor laranja nos anos 70. Um dia perguntaram-lhe se ele achava se o design dele era um bom design e ele respondeu no que se tornou até aos dias de hoje como a lista dos 10 princípios fundamentais para a criação do bom design. Que são:

1. O bom design é inovador
2. O bom design faz um produto ser útil
3. O bom design é estético
4. O bom design ajuda a entender o produto
5. O bom design é discreto
6. O bom design é honesto
7. O bom design é durável
8. O bom design é meticuloso
9. O bom design é ambientalmente correto
10. O bom design é o menos design possível

Claro que nem todos os princípios se aplicam ao que tento fazer na minha cozinha, mas falo-vos destes princípios porque, para mim, o último rege a minha vida em quase tudo. O menos é mais. O simples é o melhor. Menos, mas melhor - porque se nos concentrarmo-nos nos aspectos essenciais, e os não carregarmos os produtos com detalhes não essenciais. É um retorno à pureza, retorno à simplicidade.
E aqui aplica-se a 100% à culinária. Usar os alimentos da época e deixá-los falar por eles próprios, permitirem ser o rei da festa. A junção de poucos ingredientes muitas vezes a explosão de sabor é incrível. Sentir o verdadeiro sabor dos alimentos é fundamental. (Experimentem fazer isso também na vossa vida. Sentir o beijo profundo sem esperar mais nada. Sentir o abraço e inspirar para sentir o perfume dos cabelos. Levar a(o) filha(o) à escola e saborear o momento simples em que ela(e) nos sorri e diz "bom dia mamã". O menos é mais... oh se é! Para mim, são estes pequenos momentos que me fazem dizer que sou muito feliz.)

E hoje trago-vos uma receita assim, em que o menos é mais e muito, muito mais.
Um pesto simples, fácil e hiper saboroso.

Este molho pesto não é o original. O original é de manjericão e pinhões. O molho pesto originalmente foi criado em Itália, mais especificamente em Ligúria, região onde o manjericão era muito abundante. Na época (sec. XIX) onde por falta de equipamentos tecnológicos era frequente esmagar os alimentos para fazer deles pastas e papas, começou-se a criar este molho para juntar às massas secas. O que perdura até hoje. Diz-se que para o molho pesto de manjericão não devemos usar o processador de alimentos (robot de cozinha) pois com a temperatura que as lâminas atingem o azeite cozinha o manjericão. Para isso, basta reduzir a velocidade do processador e já não atingimos temperaturas mais quentes.

Este que vos trago é uma das imensas variantes do molho pesto original. Eu adoro espinafres, pelo que este é dos meus favoritos. Para além de tudo o que é fundamental em qualquer receita é a qualidade dos produtos que usamos. Por isso aconselho a um bom molho de espinafres, de preferência biológicos. Dentes de alho bem perfumados, um excelente parmesão. E, por fim, um azeite de qualidade. Eu hoje usei a garrafa de azeite que um querido amigo me ofereceu no Natal. É um azeite produzido por ele e é realmente, delicioso. Acompanhei o processo dele, desde a ideia até à produção final. E gosto de tudo, do nome, do logótipo e, claro, do azeite. É delicioso. Vejam aqui: www.casadoruco.pt.

Pesto de espinafres e pistácios
(receita adaptada de Mon Cours de Cuisine / Les Basiques)

Ingredientes:

200g de espinafres
75g de azeite extra virgem
2 dentes de alho
1 c. de chá de sal
2 c. de sopa de pistácios
25g de parmesão ralado

Preparação:

Coloque tudo num processador de alimentos ou robot de cozinha em velocidade média, de forma a que triture tudo, mas sem aquecer.
Na bimby programe (20seg/vel4,5).

Qualquer molho pesto combina super bem com massas. 
Basta cozer a massa e no final colocar 2 colher de sobremesa de pesto na massa. Mexer bem e devorar... hummm Simples, mas tão bom!!!!


20 de novembro de 2013

Hummus de amêndoa



Como o prometido é devido, aqui está uma receita para aproveitar o miolo da amêndoa que sobra depois de fazermos o leite de amêndoa. Esta receita veio da inspiradora e fantástica Joana Alves do Le Passe Vite. Fiz algumas adaptações, mas a essência é da receita dela. Como não tinha aqui em casa o Tahine, substitui por iogurte (não tem nada a ver, mas resultou lindamente). Obrigada Joana, por seres sempre uma inspiração e ensinares-me tanto!

Esta receita é um óptimo acompanhamento ou entrada para uma refeição.

Hummus de amêndoa

Ingredientes:

150g de miolo Amêndoas
1 dente de alho
Sumo de 1/2 limão
4 c. de sopa de iogurte grego natural
Sal q.b.
Pimenta preta moída na hora
Pimentão doce
Coentros frescos
1/2 chili verde

Preparação:

Pique o alho juntamente com o sumo do limão e o iogurte (pode utilizar uma varinha mágica ou um robot de cozinha). Junte o miolo da amêndoa e envolva bem. Tempere com sal e pimenta preta.
Colocar o hummus numa tacinha, polvilhe com o pimentão doce, os coentros picados e junte o chilli picado aos pedacinhos fininhos.

Sirva com tostinhas ou pão. Ou com legumes crus, ou coma às colheradas! eheheh


11 de outubro de 2013

Bolinhos de cenoura

Ontem foi dia de "brincar" na cozinha com a mini-chef. Inspirada por uns bolinhos de berinjela do fabuloso livro "Da Horta Para a Mesa" de Cláudia Villax, resolvi fazer uns bolinhos de cenoura. São fáceis e simples de fazer. Serviram de acompanhamento na refeição, o que nos permite variar das massas, arroz ou batatas. Podem ser comidos quentes ou frios. São mesmo bons, experimentem.

• Bolinhos de cenoura •

Ingredientes:

3 cenouras médias
pão ralado na hora
tomilho-limão
coentros
manjericão
2 dentes de alho grandes
1 ovo
queijo parmesão ralado na hora
pimenta preta moída na hora
sal q.b.

Preparação:

Prepare o pão ralado. Use pão do dia anterior e coloque num robot de cozinha, juntamente com as ervas aromáticas e o alho. Rale tudo muito bem. Reserve.
Coloque no robot as cenouras descascadas e reduza a um puré.
Junte as cenouras e o pão ralado num taça e mexa bem, junte o ovo e envolva muito bem. Tempere com sal e pimenta a gosto.
Faça umas bolinhas com o preparado e coloque numa frigideira com óleo de amendoim e frite.
Sirva quente ou frio.

Desta vez não tive hipótese de fotografar os ingredientes, pois já estava a ficar sem luz. 

2 de julho de 2013

Arroz de pistáchios



Já há algum tempo tinha feito esta experiência e achei que resultou num arroz simples, mas divinal. O sabor do pistáchio com o arroz ficou mesmo bom e tinha de alguma forma partilhar convosco.
Aqui está uma das receitas que mais uso para fazer arroz, tenho bimby mas faço sempre no tacho, não sei bem porquê, mas gosto do meu arroz, da minha receita e não me dá mais trabalho para isso, mas é uma receita que facilmente se adapta à bimby.

Arroz de pistáchios 

Ingredientes:

1/2 cebola
Azeite virgem (cerca de 40ml, mas basta tapar o fundo do tacho)
Sal q.b.
2 c. de sopa de pistáchios
1 chávena de chá de arroz (uso o basmati ou agulha)
2 chávenas de chá de água quente

Preparação:

Pique a cebola e coloque no tacho juntamente com o azeite e o sal e coloque o lume no máximo. Deixe a cebola estalar um pouco e junte os pistáchios. Vá mexendo bem, durante 1 minuto. Junte o arroz, com a ajuda de uma colher mexa o arroz até o mesmo ficar transparente. Junte a primeira medida de água e deixe levantar fervura, quando isso acontecer coloque a segunda medida de água e mexa mais um pouco até o arroz assentar bem e volte a deixar levantar fervura. Quando levantar fervura reduza o lume para o mínimo, tape com o testo e deixe cozer até a água desaparecer completamente (entre 8 a 10 minutos).

13 de abril de 2012

Bróculos salteados crocantes (inspiração vietnamita)


Nos meus raros zappings, passei pelo canal 24 kitchen ou Food Network (já não sei qual foi) e vi uma receita (já pronta) de bróculos crocantes com alho e pinhões. Bem, o aspecto daqueles bróculos encheram-me a boca de água... que bom aspecto. E, claro, mesmo sem ver a receita do início ao fim, tentei fazê-la à minha moda, inspirando-me nos sabores vietnamitas.

23 de fevereiro de 2012

Bifinhos de frango com molho de laranja




• Bifinhos de frango com molho de laranja •

Esta é uma receita que mais uma vez surgiu de um improviso. Muitas vezes, apesar de adorar cozinhar, há dias em que não apetece, então a forma que encontro para dar volta é inventar. Se correr mal, paciência, se correr bem, óptimo, será para repetir. E esta receita correu muito bem. :)

11 de fevereiro de 2012

A minha granola


• A minha granola •

Ingredientes:

1 embalagem de granola da "Cem Porcento" (contém passas, flocos de trigo integral, aveia integral, sementes de sésamo, sementes de girassol, arroz tufado e amêndoa)
2c. de sopa de amêndoas laminadas
Raspa de 1/2 limão
1c. de chá de sumo de limão
3 paus de canela
20g de gengibre fresco
3c. de sopa (bem cheias) de mel
100g de açúcar
40g de água

Preparação:

Pré-aqueça o forno a 200ºC.
Triture grosseiramente a granola com as amêndoas (na bimby 10seg./vel.4)
Coloque a granola num tabuleiro de forno forrado com papel vegetal.
Num tacho pequeno coloque o açúcar e a água e junte um pau de canela. Deixe ferver até ficar em ponto de caramelo.
Junte o caramelo à granola, tentando que o caramelo abranja toda a granola.
Entretanto aqueça o mel com o gengibre, os 2 paus de canela e a raspa de limão (na bimby 2min./vel2/colher inversa)
Distribua pela granola o mel aquecido.
Coloque o tabuleiro no forno durante 10 minutos (mas sempre vigiando).

Retire do forno e guarde num recipiente hermético.

A granola é óptima para variadíssimas receitas, mas tb é excelente para colocar em iogurte. É um óptimo pequeno-almoço.

29 de janeiro de 2012

Muffins de milho


• Muffins de milho •

Descobri um grupo fantástico que todas as quinzenas lança um desafio para experimentarmos uma receita. Ainda só hoje é que descobri o grupo e o desafio já tinha sido para esta sexta-feira que tinha passado. De qualquer forma achei tão interessante que resolvi participar nem que fosse fora do tempo, só a título de curiosidade. As receitas que tinha visto a serem quase repetidas nos vários blogues que tanto admiro e que eu não entendi o que se estava a passar, descobri agora, que afinal eram as várias participantes desse mesmo desafio. Podem ver variantes destes muffins aqui, aqui e aqui (entre outros).

Ingredientes:

1 chávena de farinha de trigo
1 chávena de farinha de milho amarelo
2 colheres de chá de fermento em pó
1/2 colher de chá de sal
1 pitada de noz moscada
6 colheres de sopa de azeite
1 ovo e 1 gema
1 chávena de milho cozido (+/- 150 g)
1 chávena de buttermilk (encontrei uma explicação de como substituir, ver abaixo)
20g de coentros
1/4 de pimento vermelho

Preparação:

Pré aqueça o forno a 200ºC.

Começar por preparar o buttermilk. Numa caneca (cerca de 200ml) colocar uma colher de sopa de limão e juntar o leite até encher a caneca. Esperar cerca de 10 minutos, quando reparar que está a coalhar é porque está pronto a utilizar.

Unte formas de muffins (queques), forre-as com forminhas de papel ou, então utilize formas de silicone (foi o que usei).

Num recipiente (utilizei a bimby, mas não é necessário) misture todos os ingredientes secos: as farinhas, o fermento, o sal e a noz-moscada. Reserve.

Num outro recipiente (também poderá utilizar a bimby) misture bem o azeite, o buttermilk, ovo e a gema. Deite esta mistura sobre a mistura dos ingredientes secos e envolva bem com a ajuda de uma vara de arames sem mexer muito.

Triture ligeiramente os grãos de milho com os coentros e o pimento. Acrescente à massa e envolva.

Coloque no forno e aguarde cerca de 15 minutos ou até ficarem dourados.



Notas: Está aqui a explicação detalhada de como se pode substituir o buttermilk: ver aqui.

13 de janeiro de 2012

Ovos cozidos


• Ovos cozidos •

Qual será a receita mais simples de se fazer para acompanhar uma refeição ou servir como a própria refeição? Ovos cozidos. Uma receita tão simples e tão saborosa. Mas como todas as receitas simples existem uns truques para que saibam ainda melhor.

Ingredientes:

2 ovos
Sal refinado q.b.
Pimenta preta moída na hora q.b.
Raspa de limão q.b.

Preparação:

Num tacho pequena ferva água. Deixe que levante mesmo a fervura. Coloque os ovos com muito cuidado para não se queimar e para não partirem. Deixe-os ferver durante 5 minutos (não mais do que isso). Retire do lume e com a ajuda de um coador retire os ovos da água e deixe-os arrefecer. Quando estiverem menos quentes passe por água fria e descasque os ovos. Coloque os ovos na travessa ou prato onde os irá servir e parta às fatias grossas como vê na imagem. Os ovos cozidos deverão ficar com a gema meia líquida, o sabor será muito mais intenso do que se ficarem cozidos demais.
Tempere com sal refinado, pimenta preta moída na hora e com raspa de limão. Sirva acompanhado de pão.
É uma receita super simples, mas muito saborosa.

27 de dezembro de 2011

Batatas "fritas" no forno


• Batatas "fritas" no forno •

Batatas
Azeite
Sal
Coentros
Raspa de limão
Alho em pó

Pré-aqueça o forno a 180º. Corte as batatas aos palitos e coloque numa taça e regue com um fio generoso de azeite e sal. Misture bem (eu costumo usar as mãos - não há melhor ferramenta culinária!). Coloque num tabuleiro coberto com papel vegetal e coloque no forno.
Quando estiverem douradas retire-as e polvilhe com raspa de limão, coentros picados e alho em pó.

São muito idênticas às batatas fritas, com a grande vantagem de não o serem, ou seja, são muito mais saudáveis.