Mostrar mensagens com a etiqueta espinafres. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta espinafres. Mostrar todas as mensagens

20 de março de 2017

A Teresa ensina: Os benefícios do espinafre


O espinafre, embora nativo do Médio Oriente, é um hortícola cultivado à escala mundial, muito apreciado e consumido em todo o mundo. Contrariamente ao que muita gente pensa, não pertence à família das crucíferas, mas sim à família Amaranthaceae da qual também fazem parte a beterraba, a acelga e os grãos amaranto e quinoa. A sua época de produção é entre os meses de Março e Maio e Setembro e Outubro e encontra-se disponível em 3 formas diferentes – sabóia, semi-sabóia e baby leaf. No momento da compra, deve optar-se sempre pelo espinafre de folha bem verde, firme e suculenta.

21 de abril de 2016

Porque é que minha filha não me ouve? {Cevadoto de espinafres e camarão}

Num outro dia, em conversa com uma amigas acerca de parentalidade positiva, houve uma mãe que perguntou à minha amiga Magda: Como posso fazer para que a minha filha fale comigo?

Ora bem, eu não sou a Magda e não tenho as respostas certas que ela tem, e muito menos sei do assunto como ela sabe. Ela é quem ajuda os pais e tem taxas de sucesso incríveis. Mas esta questão deixou-me a pensar. "Como posso fazer para que a minha filha fale comigo?"

11 de fevereiro de 2015

Coroa de espinafres

No meio das tarefas de mamã, com duas filhas, torna-se bem complicado arranjar tempo para conseguir fazer as receitas e fotografá-las. Não é a primeira vez que me queixo dessa falta de tempo, mas realmente é o que sinto.

20 de janeiro de 2014

Pesto de espinafres e pistácios

Como sabem sou formada em design gráfico. E ainda na universidade aprendi os 10 fundamentos/ princípios do bom design do Dieter Rams. O Dieter Rams é um designer industrial, foi o grande designer da Braun. O seu trabalho sempre primou por uma simplicidade incrível, sempre com o factor "wow" em todas as peças que desenvolvia. Foi dos principais responsáveis por alterar a cor dos electrodomésticos da cozinha para a cor laranja nos anos 70. Um dia perguntaram-lhe se ele achava se o design dele era um bom design e ele respondeu no que se tornou até aos dias de hoje como a lista dos 10 princípios fundamentais para a criação do bom design. Que são:

1. O bom design é inovador
2. O bom design faz um produto ser útil
3. O bom design é estético
4. O bom design ajuda a entender o produto
5. O bom design é discreto
6. O bom design é honesto
7. O bom design é durável
8. O bom design é meticuloso
9. O bom design é ambientalmente correto
10. O bom design é o menos design possível

Claro que nem todos os princípios se aplicam ao que tento fazer na minha cozinha, mas falo-vos destes princípios porque, para mim, o último rege a minha vida em quase tudo. O menos é mais. O simples é o melhor. Menos, mas melhor - porque se nos concentrarmo-nos nos aspectos essenciais, e os não carregarmos os produtos com detalhes não essenciais. É um retorno à pureza, retorno à simplicidade.
E aqui aplica-se a 100% à culinária. Usar os alimentos da época e deixá-los falar por eles próprios, permitirem ser o rei da festa. A junção de poucos ingredientes muitas vezes a explosão de sabor é incrível. Sentir o verdadeiro sabor dos alimentos é fundamental. (Experimentem fazer isso também na vossa vida. Sentir o beijo profundo sem esperar mais nada. Sentir o abraço e inspirar para sentir o perfume dos cabelos. Levar a(o) filha(o) à escola e saborear o momento simples em que ela(e) nos sorri e diz "bom dia mamã". O menos é mais... oh se é! Para mim, são estes pequenos momentos que me fazem dizer que sou muito feliz.)

E hoje trago-vos uma receita assim, em que o menos é mais e muito, muito mais.
Um pesto simples, fácil e hiper saboroso.

Este molho pesto não é o original. O original é de manjericão e pinhões. O molho pesto originalmente foi criado em Itália, mais especificamente em Ligúria, região onde o manjericão era muito abundante. Na época (sec. XIX) onde por falta de equipamentos tecnológicos era frequente esmagar os alimentos para fazer deles pastas e papas, começou-se a criar este molho para juntar às massas secas. O que perdura até hoje. Diz-se que para o molho pesto de manjericão não devemos usar o processador de alimentos (robot de cozinha) pois com a temperatura que as lâminas atingem o azeite cozinha o manjericão. Para isso, basta reduzir a velocidade do processador e já não atingimos temperaturas mais quentes.

Este que vos trago é uma das imensas variantes do molho pesto original. Eu adoro espinafres, pelo que este é dos meus favoritos. Para além de tudo o que é fundamental em qualquer receita é a qualidade dos produtos que usamos. Por isso aconselho a um bom molho de espinafres, de preferência biológicos. Dentes de alho bem perfumados, um excelente parmesão. E, por fim, um azeite de qualidade. Eu hoje usei a garrafa de azeite que um querido amigo me ofereceu no Natal. É um azeite produzido por ele e é realmente, delicioso. Acompanhei o processo dele, desde a ideia até à produção final. E gosto de tudo, do nome, do logótipo e, claro, do azeite. É delicioso. Vejam aqui: www.casadoruco.pt.

Pesto de espinafres e pistácios
(receita adaptada de Mon Cours de Cuisine / Les Basiques)

Ingredientes:

200g de espinafres
75g de azeite extra virgem
2 dentes de alho
1 c. de chá de sal
2 c. de sopa de pistácios
25g de parmesão ralado

Preparação:

Coloque tudo num processador de alimentos ou robot de cozinha em velocidade média, de forma a que triture tudo, mas sem aquecer.
Na bimby programe (20seg/vel4,5).

Qualquer molho pesto combina super bem com massas. 
Basta cozer a massa e no final colocar 2 colher de sobremesa de pesto na massa. Mexer bem e devorar... hummm Simples, mas tão bom!!!!


7 de dezembro de 2013

Sumo verde ou detox para as corridas de amanhã (Missão Sorriso)


É já amanhã! Lembram-se? Vamos todos correr ou caminhar para ajudar a encher a Cruz Vermelha de Cabazes fantásticos para o Natal. E para nos ajudar a ter energias e a desintoxicar o nosso organismo para estarmos ainda em melhor forma e alcançarmos a meta amanhã (sim, porque o continente só oferece um cabaz por cada participante que chegue ao final), resolvi mostrar-vos um sumo verde desintoxicante. É um cocktail cheio de coisas boas para o nosso organismo.

A primeira vez que vi este sumo foi aqui, claro! A Joana está sempre na vanguarda nestas coisas saudáveis e óptimas para o nosso organismo. Este sumo é um excelente combustível. Confesso que a primeira vez que vi pensei com os meus botões "God! Isto deve ser nojento!". Mas não é. Juro-vos! O primeiro gole achei estranho, mas depois até gostei. Claro que eu juntei fruta docinha, mas é bom. E só de pensar que me está a ajudar a ser mais saudável, bora lá fazer mais.

Amanhã, antes da corrida façam este sumo e, acreditem, vão-se sentir com muito mais energia.
Vamos lá?
Sumo Verde Detox

Ingredientes:

1 laranja
2 clementinas
1 banana 
150g de espinafres
1 cm de gengibre fresco 
1 c. de sobremesa de sementes de chia
1 raminho de hortelã

Preparação:

Coloque todos os ingredientes (excepto as sementes) numa liquidificadora ou no copo da bimby e triture tudo. Coloque as sementes por cima e beba de imediato.

Todas as informações para a Missão Sorriso, vejam este link onde vos conto tudo!
Até amanhã! :)


27 de novembro de 2013

Rotolo de beringela e espinafres e oferta do livro "Poupe com o Jamie"

Quem me conhece sabe da minha paixão pelo Jamie.
Foi com ele que aprendi a ser criativa na cozinha e a fugir da minha zona de conforto. Foi com o Jamie que aprendi a usar as facas, foi com o Jamie que nasci e despertei para a magia da cozinha. Pode parecer exagerado, mas é a verdade. Nunca tive ídolos, nem nunca quis conhecer "famosos", mas aqui, publicamente, vos digo que adorava conhecer o Jamie Oliver.
Toda a sua filosofia, a forma como ele encara a alimentação, o que ele fez e faz pelas crianças e por todos nós em geral, é para mim, oficialmente, o meu ídolo na culinária.

E, estou prestes a realizar um dos meus grandes sonhos!! Vou fazer dois cursos no Recipease de Notting Hill... eu nem acredito que isto vai acontecer, mas vai! É mesmo uma realidade!
E para festejar resolvi oferecer-vos o novo livro do Jamie Oliver "Poupe com Jamie"

Vamos, então ao que interessa: Como podem ganhá-lo?

Este livro fala dos aproveitamentos, da poupança, do não desperdício. A ideia é que criem uma receita que tenha esse 3 factores presentes: a poupança, aproveitamento e sem desperdício.

As regras são as seguintes:

1. Criar uma receita com aproveitamentos, económica e sem desperdício
2. Fotografar a receita
3. Enviar a receita ou o link do post (se tiver blogue) por email para: clavelscook@gmail.com
4. Gostar da página de Facebook Clavel's Cook
5. Partilhar publicamente o post do passatempo no facebook

Critérios de avaliação:

1. A receita terá de ser criativa (poderá ser inspirada em alguma existente, mas tem de ter um toque único);
2. A apresentação da fotografia: composição, iluminação e ambiente;
3. Cumprir com todas as regras acima mencionadas.

VEJAM AQUI O REGULAMENTO

Claro que não podia fazer um post destes sem, também vos partilhar uma das melhores receitas do livro.
E por isso aqui vos deixo uma que já a fiz 3 vezes... sim 3, leram bem. Adorei! A versão que vos trago foi feita com beringela assada, mas confesso que gosto mais da versão original, com abóbora. Mas é só trocarem os legumes e fazer tudo da mesma forma. E inovem, experimentem, a ideia é mesmo essa.


Rotolo de beringela e espinafres

Ingredientes (4 a 6 pessoas):

1 beringela grande
1 cebola vermelha
sal
pimenta
sumo de 1/2 limão (não tem na receita original)
azeite
1c. de chá de tomilho-limão
500g de espinafres congelados
1 noz-moscada inteira, para ralar
4 dentes de alho
1 frasco de 700ml de polpa de tomate
6 folhas grandes de massa fresca (eu compro da marca milaneza, são as que mais gosto)
50g de queijo feta (também fica óptimo com queijo de cabra curado)
20g de queijo parmesão
opcional: pés de salva fresca (não pus)

Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Coloque a beringela partida a meio (o jamie põe a abóbora inteira no forno) numa assadeira e leve ao forno (previamente temperada com sumo de limão, sal, pimenta, noz-moscada ralada e azeite - o jamie não faz assim, tempera só depois de sair do forno).
Entretanto descasque a cebola, pique-a grosseiramente, e leve-a a lume médio-brando num tacho de um tamanho médio com um fio de azeite, o tomilho-limão e uma pitada de sal e pimenta durante 10 minutos, mexendo de vez em quando. Junte os espinafres, cubra com uma tampa e deixe ferver em lume brando mais 15 minutos ou até o líquido evaporar, e retire do lume.
retire a beringela do forno e retire o interior da mesma esmagando com um garfo.

Descasque o alho, pique-o finamente, coloque-o numa caçarola de 28 cm de diâmetro (ou numa frigideira e depois coloca tudo numa assadeira - como foi o meu caso) com um fio de azeite e leve a fritar em lume médio durante 2 ou 3 minutos ou até começar a ficar dourado. Junte a polpa de tomate, tendo o cuidado de juntar um pouco de água no frasco vazio e agitar, deitando depois na caçarola. Deixe ferver em lume brando durante apenas 3 minutos e tempere muito bem.

Numa superfície perfeitamente limpa, disponha as folhas de massa com o lado mais estreito virado para si, trabalhando com rapidez para a massa não secar, pincele-as com água e depois divida a beringela e esspalhe-a sobre as folhas de massa. Adicione os espinafres cozinhados e o queijo feta esfarelado. Enrole as folhas e corte cada uma em 4 partes, colocando-as em seguida lado a lado no molho do tomate. polvilhe com o queijo parmesão, deite um pouco de azeite e disponha as folhas de salva (se quiser). Leve ao forno no nível inferior, coberto com papel de alumínio durante 17 a 20 minutos, depois retire o papel de alumínio e deixe no forno mais 17 a 20 minutos ou até estar com um aspecto dourado e estaladiço. É uma delícia acompanhado de uma salada verde. (é mesmo!)