Mostrar mensagens com a etiqueta prato principal. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta prato principal. Mostrar todas as mensagens

17 de agosto de 2017

a Saudade {risotto de figos e Gorgonzola}


Os meses vão passando e o que vai aumentando é uma saudade, enorme, que aperta o estômago e revolve as entranhas. Todos que me conhecem sabem os sentimentos controversos e a relação que mantinha com ele. Feitio difícil, complicado é pouco para o definir... mas o amor era grande, tão grande como só um laço de sangue poderia criar.

O tempo, esse não perdoa, e ao longo dos dias pensamentos como "tenho de ligar ao pai a contar isto; tenho de lhe mostrar aquilo; tenho de comprar isto para lhe dar; só o pai saberia responder àquilo; o que é que ele pensará disto?" A ficha cai. Já não há comunicação possível e em mais nenhum momento vamos estar juntos.

19 de julho de 2017

O que é mais Guloso do que uma santola envolta em tomate?

Sei que ando ausente do blogue, mas acreditem que é só por bons motivos. O trabalho tem sido muito e os desafios cada vez maiores.

Hoje somos já uma equipa cada vez maior e agora espero conseguir ter mais tempo para escrever com maior regularidade aqui neste cantinho tão especial para mim.

Entretanto, com imenso orgulho recebi um novo desafio para me juntar a uma nova equipa de gulosos. E a partir de hoje tenho imensas sugestões para vos apresentar com os fabulosos produtos da Guloso. Sempre usei polpa de tomate nas minhas receitas e incrivelmente já usava os produtos Guloso. Quando recebi esta proposta fiquei verdadeiramente entusiasmada pois obriga-me a novos desafios na cozinha e maior criatividade. Posso garantir-vos que desenvolvi uma série de receitas maravilhosas e surpreendentes.

14 de novembro de 2016

Comida de conforto {Cevadotto de abóbora e castanhas + mousse de chocolate e castanhas}







Estamos em época das castanhas, da abóbora, das comidas reconfortantes, quentes e familiares.
Aqui por casa adoramos este género de comida; a comida de conforto, as refeições em que juntamos toda a gente, família e amigos, à volta de uma mesa, com as crianças a correr à volta da mesa. Esta confusão que se gira à nossa volta é o que nos faz feliz, casa cheia, barulho e tudo desarrumado!

Sempre gostei de ter a casa cheia, agora com a mudança para a casa nova ajuda a que a festa se torne ainda maior. Uma sala grande, uma cozinha luminosa aberta para a sala convida a este tipo de convívio. E, por isso mesmo, não podia deixar de levar uma receita destas ao Porto Canal no dia de S. Martinho, na passada sexta-feira.

Para terminar em grande não podia deixar de fazer uma sobremesa tão reconfortante como este cevadotto. Uma mousse de chocolate e castanhas. Há lá coisa melhor?

10 de maio de 2016

Meninices e Mesquinhices {Pesto de rúcula e menta}

Há uns dias, estava a arranjar a Maria para tomar banho e ela estava a contar-me um episódio da escola. Referiu o nome de uma amiga/colega que eu não conhecia. Ela disse: "Oh mãe, ela é do 3º ano, é aquela que dança muito bem Hip-Hop, sabes?" Percebi, finalmente, de quem se tratava e resolvi perguntar: "Vocês são amigas?"

Esta minha pergunta surtiu grande conversa:

21 de abril de 2016

Porque é que minha filha não me ouve? {Cevadoto de espinafres e camarão}

Num outro dia, em conversa com uma amigas acerca de parentalidade positiva, houve uma mãe que perguntou à minha amiga Magda: Como posso fazer para que a minha filha fale comigo?

Ora bem, eu não sou a Magda e não tenho as respostas certas que ela tem, e muito menos sei do assunto como ela sabe. Ela é quem ajuda os pais e tem taxas de sucesso incríveis. Mas esta questão deixou-me a pensar. "Como posso fazer para que a minha filha fale comigo?"

11 de abril de 2016

A corrida contra o tempo {Tarte de cenouras em flor}


O tempo que vai escorrendo por entre os dedos.
O tempo que nos foge sem pedir licença.
O tempo que nos escapa e nem notamos.
O tempo que nos faz falta. Que nos envelhece e transforma.

De repente damos por nós a perceber que já se passou uma hora, um dia, uma semana, um mês, um ano, 5 anos... uma década!

24 de março de 2016

Quando a vida te vira do avesso {Panquecas de ervilha com salmão fumado e ovinhos de codorniz}

"E se de repente a vida te vira do avesso? 
E tu descobres que o avesso, é o seu lado certo?" *

Pois é, a vida tem destas partidas. Tudo aquilo que muitas vezes achávamos ser o certo, o caminho a seguir, a via correcta para chegarmos mais longe, de repente, no nosso caminho aparece uma pedra, ou uma árvore caída que nos faz afastar do caminho original. E, às vezes, esses atalhos que escolhemos revelam-se totalmente encantadores, apaixonantes e percebemos que era esse o caminho principal, mesmo que durante várias vezes tenhamos resistido.

18 de agosto de 2015

23 de março de 2015

Tagliatelle com sardinhas picantes

Esta receita surgiu de um dia em que eu não sabia o que havia de fazer para o jantar. Não tinha grande coisa no frigorífico, a minha mini estava meia adoentada pelo que uma canja era suficiente para lhe dar de jantar. Mas o que fazer para mim e para o Miguel?

10 de julho de 2014

Um dos meus petiscos favoritos

Ahh calor, sol... nestes dias o que é que me apetece? Cerveja. Juro! É verdade, apetecem-se petiscos salgados e uma cerveja bem geladinha a acompanhar. Mas... bolas! Estou grávida!

6 de junho de 2014

Quando a vida me sorri


Há uns dias, estava o Miguel no Brasil, liguei à minha mãe a chorar. Tinha saudades, estava irritada com coisas da escola, sentia-me exausta... enfim, um dia menos bom. E ela disse: "Porque choras?" Ora, choro porque sou mulher, choro porque também preciso de chorar, choro porque nem sempre consigo ver o lado bom das coisas. Faz parte, de vez em quando é preciso chorar, até porque chorar limpa a alma, renova as energias. E chorei... e depois passou.

1 de abril de 2014

O verdadeiro Ceviche do Perú

Hoje é um dia especial. Nem toda a gente pode dizer que experimentou receitas típicas de algum lado, feitas por um nativo do local, na sua própria casa. Eu sou uma felizarda! Tive o prazer de ter em minha casa uma peruana a cozinhar ceviche para mim e para vocês, claro.

26 de março de 2014

Primavera, anda ter connosco, por favor!

O sol hoje tem espreitado. Um pouco tímido. Teima em aparecer e logo a seguir desaparecer. Há umas semanas o quentinho começou-se a sentir e até parece que estão a brincar connosco, pois já estávamos todos felizes a escolher roupas mais leves e mais primaveris e de repente vem este vento que corta até a respiração. Os pés voltam a gelar, temos de voltar a ir buscar um lenço, ou uma gola maior para nos protegermos.

11 de maio de 2013

Cogumelos shiitake recheados com feijão mungo

A vida é muito engraçada e dá umas voltas engraçadas. Reencontrei uma colega da faculdade que agora tem uma produção de cogumelos shiitake em Amarante (podem encontrar mais informações no site da Floresta Viva e no Facebook deles). Claro que tinha de os experimentar e comprei uma caixinha deles ontem. São maravilhosos, mesmo. Super saborosos e tenros. Adorei. 
E ontem encontrei estes feijões lindíssimos numa loja O Celeiro. Resolvi comprar para experimentar e estou fão. São maravilhosos e devem ficar deliciosos numa sopa!

Cogumelos shiitake recheados com feijão mungo 

Ingredientes:

350g de cogumelos shiitake
100g de requeijão
200g de feijão mungo
1/2 pimento vermelho
1/2 chili vermelha
100g de bacon às tiras
1 cebola
2 dentes de alho
1 alho francês
Mozzarela
sal b.q.
coentros frescos picados
1/4 de sumo de limão
azeite extra virgem

Preparação:

Coloque o feijão de molho, pelo menos 2 horas antes.
Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Coloque o feijão num tachinho com água e sal e deixe ferver aproximadamente 20 minutos.
Prepare os cogumelos, retire os caules (poderá utilizá-los pra um caldo) e reserve as conchas dos cogumelos.
Numa wok coloque o o alho, a cebola picada, sal e um fio generoso de azeite. Deixe alourar o alho e coloque o alho francês cortado às rodelas. Junte a chili, o bacon, o pimento e o sumo de limão.
Coloque por cima o feijão cozido e envolva bem. Perfume com os coentros frescos.
Numa assadeira coloque os cogumelos com uma pitada de sal e polvilhe a base com o requeijão desfeito. Coloque uma colher de sopa do preparado por cima dos cogumelos, recheando-os. No final cubra com mozzarela.
Leve ao forno aproximadamente 15 minutos.

Fiz 2 versões, fiz com bacon e sem bacon. Fica bom das duas maneiras, por isso é uma óptima sugestão de uma comida vegetariana.

O recheio que sobrou coloquei numa assadeira e à mesa servimo-nos dos dois lados.
Aqui todos adorámos, foi uma invenção do momento, mas é com certeza a repetir. :)



27 de abril de 2013

Risotto de espargos selvagens



Pela primeira vez fiz um risotto. Confesso que nunca foi coisa que me apaixonou e, talvez por ver no Hell's Kitchen o Gordon a dizer que toda a gente fazia muito mal o risotto, meti na cabeça que nunca conseguiria fazer um que valesse a pena. Mas, esta semana fui fazer um workshop de comida vegetariana, e uma das receitas que a Chef Sara Oliveira, da Escola de Hotelaria do Porto, nos apresentou, foi o risotto de espargos verdes. E eu gostei e pensei que até o poderia melhorar. Estive muito atenta a todas as indicações que ela foi dando e hoje resolvi experimentar fazer o meu.


Risotto de espargos selvagens

Ingredientes (2 pessoas) para o risotto:

200g de risotto
1 molho de espargos verdes (eu tive a sorte de encontrar espargos selvagens, mas os verdes também servem muito bem)
6 fatias grossas de salpicão (cortado aos cubos)
1 cebola
2 cebolinhos
2 dentes de alho
Sal q.b.
Azeite virgem

Ingredientes para o caldo:

1 cebola grande
Raspas e cotos dos espargos
1 dente de alho
Um fio de azeite virgem
Sal q.b.

Preparação:

Faça o caldo colocando todos os ingredientes numa panela em lume alto. Escalde no caldo os espargos já descascados durante 5 minutos. Retire, parta-os  aos pedaços e reserve.
Num tachinho coloque os dentes de alho, o cebolinho e a cebola (tudo picado) com o azeite a refogar. deixe o alho estalar. Coloque os cubos do salpicão e os espargos (excepto as pontas dos espargos, essas só serão colocadas no final). Refogue durante 2 minutos e junte o arroz. Mexa bem e vá regando com o caldo, 2 conchas de sopa de caldo de cada vez. Mexa bem até o caldo evaporar. Repita este processo várias vezes, mexendo sempre. Quando o arroz começar a ficar cozido acrescente uma boa quantidade de caldo e deixe o arroz cozer em lume médio. No final junte as pontas dos espargos e sirva.

Delicie-se! Aqui todos adoramos. :)


13 de abril de 2012

Costelinha grelhada no forno


Este é um dos pratos que praticamente todos nós já o fizemos, pelo menos uma vez. Mas eu adoro. Como-as à mão, esquecendo as regras da boa educação à mesa, pois só assim me sabem bem. E a minha filha fica delirada por poder comer à mãe, de tal forma que é difícil explicar-lhe que só as costelinhas pode pegar à mão e o arroz não. Fica a olhar para mim com ar intrigado.
Aqui vai a minha receita, em que o segredo se baseia, essencialmente, no molho de barbecue.

23 de fevereiro de 2012

Bifinhos de frango com molho de laranja




• Bifinhos de frango com molho de laranja •

Esta é uma receita que mais uma vez surgiu de um improviso. Muitas vezes, apesar de adorar cozinhar, há dias em que não apetece, então a forma que encontro para dar volta é inventar. Se correr mal, paciência, se correr bem, óptimo, será para repetir. E esta receita correu muito bem. :)

16 de fevereiro de 2012

Frango com molho de chocolate


Ontem estava a ver o novo programa que passa na SIC Radical do Gordon Ramsey "The F Word"e, no meio da confusão total, surgiu uma ideia de juntar chocolate a um molho para servir com pombo. Fiquei curiosa, será que funcionaria? E como sou extremamente curiosa no que toca a sabores gastronómicos experimentei hoje. O resultado é divinal, não fazia ideia que a explosão de sabores seria tão intensa e tão agradável. Aconselho vivamente a experimentarem.

9 de fevereiro de 2012

Carne de vaca agridoce - prato português inspirado na cozinha chinesa


• Carne de vaca agridoce - prato português inspirado na cozinha chinesa •

Inspirado nos sabores agridoces da cozinha chinesa fiz este prato que aqui em casa foi muito apreciado.